DOM 25 DE OCTUBRE DE 2020 - 04:54hs.
Uma vez que as autoridades permitam

Operadora de cassinos chilena Dreams confirma que está pronta para reabertura em Punta Arenas

O grupo chileno de cassinos Dreams confirmou que está pronto para abrir suas instalações em Punta Arenas quatro meses após o fechamento de suas operações devido à pandemia da COVID-19, assim que a autoridade de saúde permitir. 'Estamos confiantes de que, assim que permitirem, poderemos retomar nossa operação e ter nossos anfitriões de volta', disse um porta-voz.

“A gestão responsável da empresa nos permite hoje ver o futuro com otimismo. Será um período difícil, mas estamos confiantes de que vamos avançar e continuar a ser o ator relevante que sempre fomos em Punta Arenas. Nós nos colocamos à disposição das autoridades para apresentar nossos protocolos de saúde que buscam proteger a saúde de nossos anfitriões e visitantes. Estamos comprometidos com um retorno seguro, adaptando nossa operação conforme necessário para minimizar os riscos de contágio e cuidar um do outro. Estamos prontos para retomar nossas atividades. Temos sido muito proativos, tanto no design de nossos protocolos quanto na preparação da infraestrutura para abrir assim que a autoridade permitir”, acrescentou o porta-voz.

“Temos um protocolo de higiene e segurança da COVID-19 baseado nas definições do Minsal, elaborado em conjunto com o Mutual de Seguridad, revisado pela SGS e sob o modelo e supervisão da Ecolab. Não deixamos nada ao acaso e temos sido muito exigentes em termos os melhores padrões de prevenção”, concluiu.

Os funcionários da Dreams foram protegidos pela Lei de Proteção ao Emprego, 'que, juntamente com a sustentabilidade da empresa, permitiu que eles esperassem com alguma tranquilidade pela reativação de nossas operações, uma vez que suas leis sociais são cobertas e sua continuidade de emprego é garantida'.

O porta-voz finalmente disse: "A empresa vem complementando o que os anfitriões recebem mensalmente do Administrador do Fundo de Desemprego para que, independentemente do estado de seus fundos, possam receber até 50% do líquido médio".

Fonte: GMB / G3 Newswire