JUE 22 DE OCTUBRE DE 2020 - 03:39hs.
Resultado da COVID-19

Operadora de jogo Wynn Macau regista perdas de quase € 300 milhões

A operadora do jogo Wynn Macau registou US$ 351,5 milhões (297,5 milhões de euros) de prejuízo no segundo trimestre do ano, em relação ao mesmo período de 2019. A empresa, que opera dois cassinos em Macau e cuja maioria do capital é norte-americano, registrou lucro no segundo trimestre do ano passado de US$ 168,6 milhões (€ 142,7 milhões),

O resultado negativo, à semelhança do que aconteceu com as restantes operadoras de cassinos em Macau, é explicada pelo impacto da pandemia do novo coronavírus, que obrigou o território a adotar restrições fronteiriças, com graves repercussões no mercado turístico associado ao jogo.

As receitas operacionais sofreram perdas tanto no Wynn Palace como no Wynn Macau, num valor total de US$ 15 milhões de dólares (€ 12,7 milhões), uma queda significativa, tendo em conta que no mesmo período de 2019 o resultado positivo rondara US$ 1 bilhão (€ 850 milhões).

Em maio, a Wynn Macau já anunciara mais de US$ 154 milhões de dólares (€ 130,3 milhões) de prejuízo no primeiro trimestre do ano, menos 180% em relação a igual período de 2019.

No início do mês, a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ) avançou com dados que apontavam para uma queda nas receitas do jogo em Macau de 94,5% em julho, em relação a igual período de 2019.

Os números apontam ainda que nos primeiros sete meses do ano as perdas dos cassinos em relação ao ano anterior foram de 79,8%.

E julho não foi o pior mês do ano para as operadoras. No mês anterior os cassinos já haviam registado uma queda de 97% das receitas.

Os cassinos de Macau tinham fechado 2019 com receitas de € 24,7 bilhões.

Com os vistos turísticos da China para Macau suspensos, o número de visitantes provenientes do interior da China chegou a cair em maio 99,4%, em termos anuais.

Capital mundial do jogo, Macau é o único local na China onde o jogo em cassino é legal. Três concessionárias (Sociedade de Jogos de Macau, Galaxy e Wynn) e três subconcessionárias (Venetian, MGM e Melco) exploram cassinos naquela que é muitas vezes apelidada de Las Vegas da Ásia, mas que há muito ultrapassou as receitas dos cassinos registradas naquela cidade norte-americana.

Fonte: GMB / RTP Notícias