MIÉ 25 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 05:20hs.
Cassinos devem permanecer nas localizações atuais

Macau divulga Plano Urbano Master para expansão da área turística

O governo de Macau revelou alguns dos pormenores do seu Plano Urbano Master, que pretende orientar o desenvolvimento da cidade até o ano 2040, expandindo as áreas turísticas, mas mantendo a atividade dos cassinos nas atuais localizações. O plano cria dezoito zonas definidas para fins residenciais, turísticos, de lazer verde, industriais e indústrias diversificadas.

O Plano Urbano Master prevê que ao final desse período a população local terá atingido 808.000 (contra cerca de 696.000 atualmente) e o território terá uma área total de 36,8 quilômetros quadrados.

O projeto do Plano Urbano Master recentemente revelado informou que o futuro das indústrias de turismo e entretenimento da cidade permaneceria nas áreas atuais de Cotai e NAPE, enquanto vários locais se tornariam novas áreas de turismo não relacionado a jogos.

O projeto separou e classificou várias funções para diferentes distritos de Macau, sugerindo que as principais indústrias de turismo e entretenimento permaneceriam nas suas áreas atuais.

Funcionários do Governo da Região Administrativa Especial de Macau afirmaram numa conferência de imprensa recente que os cassinos seriam principalmente baseados nos hotéis e arredores destas áreas, embora o governo mantenha um certo nível de flexibilidade ao considerar a compatibilidade de terrenos na prática.

Entretanto, a zona norte da Taipa, atualmente designada por novas zonas urbanas C e D, passaria a ser uma zona urbana de ribeirinha através do desenvolvimento de elementos turísticos e empresariais.

O projeto prevê ainda a construção de uma nova rota de turismo e lazer juntamente com a nova zona urbana B, Nam Van e Barra, de forma a enriquecer as experiências de entretenimento em Macau.

A parte sul da ilha artificial, onde se situa a divisa da ponte Hong Kong-Zhuhai-Macau, seria reservada para o desenvolvimento de hotéis, exposições e convenções de forma a promover uma plataforma de cooperação entre as três cidades.

Com a reapresentação das licenças de jogo agendada para 2022, data em que expiram as seis concessões em vigor, a distribuição de terrenos para operadores de jogo e o desenvolvimento da indústria do turismo em Macau seriam um foco no futuro previsível.

Uma consulta pública para o projeto será realizada de 4 de setembro a 2 de novembro de 2020.

Fonte: GMB / Inside Asian Gaming