VIE 27 DE NOVIEMBRE DE 2020 - 02:31hs.
Perdas em Macau com a COVID-19

Jogo cai 94,5% em agosto e previsão é de mais de 70% no fim de 2020

As receitas do jogo em Macau caíram 94,5% em agosto em relação a igual período de 2019, anunciou ontem a Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ). Os números apontam que nos primeiros oito meses as perdas dos cassinos em relação ao ano anterior foram de 81,6%, devido ao impacto da pandemia da COVID-19. Segundo a consultora Bernstein, as receitas brutas de jogo dos cassinos de Macau deverão registrar perdas de 71% no final de 2020.

As operadoras que exploram o jogo na região administrativa especial chinesa arrecadaram, em agosto, cerca de 139 milhões de euros contra cerca de 2,5 bilhões de euros no mesmo mês do ano passado, adiantou a DICJ.

De acordo com os mesmos dados da Direção de Jogos, o mês de junho foi, até agora, o pior do ano, com os cassinos registrando uma queda de 97% das receitas, angariando apenas cerca de 75 milhões de euros.

Os casinos de Macau fecharam 2019 com receitas de cerca de 31,1 bilhões de euros.

Com os vistos turísticos da China para Macau suspensos, o número de visitantes provenientes do interior da China chegou a cair em maio 99,4%, em termos anuais.

Analistas da consultoria Sanford C. Bernstein Ltd preveem que no final de 2020 as receitas brutas de jogo dos cassinos de Macau registrem perdas anuais de 71%. Os dados foram divulgados ontem pela consultora norte-americana e citados pela TDM – Rádio Macau.

A previsão corrobora as perspectivas mais conservadoras relativamente ao impacto para o setor da abertura das fronteiras e da retoma da concessão de vistos turísticos individuais e de grupo, sobretudo quanto à recuperação do segmento de massas e premium, que será feito a um ritmo lento.

Contudo, segundo os analistas, apesar de se esperar uma recuperação lenta, estes dois segmentos serão precisamente os principais motores de arranque para reativar as receitas dos cassinos. Quanto ao segmento VIP, a Bernstein estima que continuará a ser afetado ao longo de 2021 por um eventual aumento do controle de capitais e imposição de medidas anticorrupção na China.

Outro fator que irá contribuir para a lenta recuperação do setor do jogo diz respeito aos clientes que têm vontade de jogar, mas que foram impedidos de o fazer este ano, demonstrando agora interesse em voltar a Macau. Como sinais de que podem vir a ter um impacto positivo em Macau, a Bernstein refere ainda a recuperação de mais de 70 por cento das movimentações aéreas na China em relação ao ano passado, a manutenção de restrições de viagem para fora do país e o aumento da venda de veículos de luxo.

Fonte: GMB / Observador/Hoje Macau