QUI 21 DE NOVEMBRO DE 2019 - 13:29hs.
No Rio de Janeiro

Poker cresce com direito a grandes eventos, clubes de qualidade e jogadores nos holofotes mundiais

De acordo com dados da Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), hoje são mais de 10 milhões de jogadores de poker espalhados pelo Brasil. Faz décadas que o poker deixou de ser considerado uma modalidade de nicho para se tornar uma das modalidades mais queridas pelos brasileiros. No Rio não é diferente e o Estado conta com grandes eventos, clubes de qualidade e jogadores nos holofotes mundiais.

Poker cresce com direito a grandes eventos, clubes de qualidade e jogadores nos holofotes mundiais

Foto: PokerNews/Divulgação

Foto: PokerNews/Divulgação

De acordo com dados da Confederação Brasileira de Texas Hold’em (CBTH), hoje são mais de 10 milhões de jogadores de poker espalhados pelo Brasil, além de uma série de torneios regionais, nacionais e até mesmo internacionais disputados durante o ano inteiro. 

Devido ao grande número de entusiastas e torneios disputados pelo estado, seria difícil ranquear todos esses competidores de forma objetiva. Ainda assim, uma boa maneira de nivelar todos os atletas nacionais é observar os seus resultados no Brazilian Series of Poker (BSOP), consagrado como a principal competição do país. Partindo dessa métrica objetiva, não existe competidor carioca com mais destaque que Pablo Almeida de Menezes. Em 2018, o atleta conseguiu terminar a competição em sexto na modalidade Omaha. Outro carioca que tem se destacado nas mesas de feltro é Vitor Peixoto Moreira. Assim como Menezes, em 2018 Moreira conquistou um dos eventos paralelos do BSOP. A primeira colocação do atleta veio no R$ 1,500 No Limit Hold’em – 6-handed (Event #17) em Brasília, um dos eventos mais disputados do ano passado.

Além desses dois competidores, outro atleta carioca que tem atraído holofotes é Ricardo Souza. Ano passado o esportista conseguiu figurar entre os 10 primeiros colocados no BSOP Millions, etapa de encerramento do BSOP que reúne a prateleira de cima do poker nacional. O atleta liderou os brasileiros na edição de 2018 da World Series of Poker (WSOP), competição equivalente a Copa do Mundo desse esporte, conseguindo chegar até uma impressionante 37ª posição. Um feito ainda mais impressionante quando se leva em conta que a competição contava com mais de 7 mil jogadores. “Experiência fantástica chegar até aqui. Estou muito feliz com o resultado. Entre os sete mil que participaram, fiquei em 37º. Claro que a gente sempre quer mais e eu poderia ir além, mas estou feliz com o resultado”, disse Souza em uma entrevista. “Conseguir essa posição é algo que sempre ficará marcado”, completou.

Campeonatos bem estabelecidos e clubes atraem entusiastas

Não são apenas competidores que colocam o Rio de Janeiro em destaque no cenário nacional e o Rio também conta com diversos campeonatos importantes. Os dois maiores são o Campeonato Carioca de Texas Hold’em e a Copa Carioca de Poker. 

Ambos contam com etapas ao longo do ano e recebem milhares de competidores em seus eventos, que são disputados em diversos estabelecimentos espalhados pelo Estado.

Aliás, os clubes de poker do Rio são alguns dos melhores do país e há inúmeras opções de estabelecimentos voltados para as principais modalidades do esporte disponíveis para os entusiastas.

Com todos esses fatores importantes a seu favor, o futuro do poker carioca é o mais promissor possível e nos próximos anos devem ver os cariocas conquistando uma posição de destaque cada vez maior no cenário nacional.

Fonte: GMB/ diário caRIOca