SÁB 7 DE DEZEMBRO DE 2019 - 11:08hs.
Nos principais torneios do mundo

Brasileiros se destacam no poker e 2020 promete ainda mais conquistas

O poker já conquistou o coração do Brasil. De algumas centenas de entusiastas na virada do milênio, o esporte das cartas hoje conta com mais de 10 milhões de competidores espalhados por todo o país. Tanto que hoje os jogadores brasileiros entram nas competições com grandes chances e a expectativa é que 2020 seja um ano de muitas conquistas nas mesas pelo mundo.

O crescimento do número de atletas também foi acompanhado por um salto de qualidade. É possível dizer que os brasileiros não apenas figuram nos campeonatos: 2020 promete ainda mais conquistas.

Grandes nomes criaram oportunidades para que uma nova geração brilhasse

Se atualmente o poker é uma das principais modalidades do país para além do futebol, isso se deve ao trabalho de grandes nomes como Alexandre Gomes, André Akkari e Felipe Mojave.

Ao longo das duas últimas décadas, esses profissionais não apenas conquistaram diversas competições nacionais e internacionais, colocando o país de vez no mapa mundial do poker, como também criaram inúmeras oportunidades para que novos craques surgissem.

Os bons resultados da nova onda de campeões nacionais começaram a aparecer principalmente na última década, mas nada se compara aos títulos alcançados nos últimos dois anos.

Conquistas dos brasileiros no cenário mundial impressionam na modalidade ao vivo

Em 2018, Roberly Felicio superou mais de 13 mil oponentes na World Series of Poker (WSOP), Copa do Mundo da modalidade, para conquistar o quarto bracelete de campeão mundial do Brasil.

Na mesma competição, o país também chegou a seis mesas finais em eventos paralelos, incluindo inéditas duas mesas simultâneas pelos atletas Thiago Decano Nishijima (8º lugar) e Renato Kaneoya (7º lugar).

O desempenho dos brasileiros em 2018 já dava indícios de que o ano seguinte seria ainda melhor para os brasileiros, mas 2019 superou até mesmo as expectativas mais otimistas.

Os craques do esporte das cartas Murilo Figueredo e Yuri Martins superaram milhares de atletas da nata mundial para trazer mais dois braceletes de campeão mundial para o Brasil, totalizando seis títulos nacionais. Além disso, o país ainda cravou mais dois vices e 14 mesas finais, feitos que solidificaram de vez o poker tupiniquim como uma potência mundial.

Boas colocações também se repetem na modalidade disputada através da internet

Os atletas nacionais também têm se destacado nas mesas virtuais. Em 2018, o país cravou 23 títulos para ficar com a inédita primeira colocação geral na prestigiada World Championship of Online Poker (WCOOP), considerada a Copa do Mundo do poker online.

Já em 2019, o país repetiu o número de troféus para conquistar a segunda posição no WCOOP, superando os Países Baixos (14) e ficando atrás apenas da Rússia e do Reino Unido, que empataram na primeira posição com 28 títulos.

Além das colocações nesses torneios, 2019 também foi um ano repleto de recordes individuais para os craques brasileiros.

Em julho o competidor Rafael Moraes bateu um field com mais de 2.550 oponentes na competição online “The Venon” para ficar com o primeiro lugar e levar para casa US$ 1.050.559 (R$ 4 milhões).

Moraes foi o primeiro atleta nacional a embolsar um prêmio superior a um milhão, superando os US$ 960 mil (R$ 3,84 milhões) do competidor Luis Felipe Taveira para ficar com o primeiro lugar do ranking nacional de maior prêmio único. Ainda assim, o seu recorde impressionante não duraria muito tempo.

Em setembro de 2019, o craque Danilo Demétrio superou esse valor e garantiu a primeira colocação no ranking nacional ao embolsar incríveis US$ 1.187.553,01 (R$ 5 milhões) no já mencionado WCOOP 2019.

Além do valor, o fato que mais chama atenção em relação ao feito é que Demétrio conseguiu seu lugar na competição, cuja inscrição custava US$ 5.200 (R$ 20 mil), através de um satélite online com inscrição de US$ 215 (R$ 820).

2020 promete ainda mais conquistas para os brasileiros

As competições desse ano já estão terminando, mas isso não significa que a temporada do esporte das cartas irá acabar. As etapas classificatórias para competições de 2020 como o PokerStars Players NL Hold’em Championship (PSPC) já começaram e tanto os atletas profissionais quanto os fãs da modalidade podem tentar conseguir uma vaga.

Assim como o caso de Danilo Demétrio no WCOOP 2019, a inscrição para o PSPC 2020 é de € 22.500 (R$ 100 mil), mas os interessados podem se inscrever em diversos torneios satélites com valores muito mais em conta ou até mesmo de graça.

A edição de 2019 do PSPC contou com mais de 1.000 competidores de diversos países e mais de 180 jogadores de várias nacionalidades dividiram a premiação de US$ 26 milhões (R$ 100 milhões).

Com tantas conquistas nas modalidades ao vivo e online nos últimos anos e diversas competições de renome no horizonte, o futuro dos brasileiros nas competições de poker não poderia ser mais promissor.

Fonte: GMB/ Portal RBN