QUA 26 DE FEVEREIRO DE 2020 - 15:50hs.
Retorna a tradicional "Acumulada de Vencedor"

O Jockey Club Brasileiro encerrou a modalidade de aposta “Seguidinha"

A Comissão de Corridas do Jockey Club Brasileiro divulgou ontem, a resolução em que comunica o encerramento da modalidade de aposta intitulada “Seguidinha' e o retorno imediato da tradicional 'Acumulada de Vencedor'. E, por conseguinte, desde sábado, dia 1 de fevereiro, os turfistas já puderam voltar a fazer as acumuladas de vencedor, com as mesmas regras anteriores, inclusive de bonificações, levando em conta a quantidade de cavalos selecionados.

Com o encerramento da “Seguidinha”, a Comissão de Corridas do Jockey Club Brasileiro explicou que a modalidade não teve a acolhida esperada junto aos apostadores. Já a tradicional "Acumulada de Vencedor” retornou de imediato. E, por conseguinte, desde sábado, dia 1 de fevereiro, os turfistas puderam voltar a fazer as acumuladas de vencedor, com as mesmas regras anteriores, inclusive de bonificações, levando em conta a quantidade de cavalos selecionados.

A ideia da "Seguidinha", acumulada de três páreos consecutivos, estava fadada ao insucesso desde o começo. O motivo é que o apostador não podia acumular os seus próprios palpites, no caso de um deles estar no início da reunião, e o outro, nos páreos finais. Ou seja, o indivíduo perdia o livre arbítrio da escolha. Era obrigado a colocar no seu jogo três páreos consecutivos, em que eventualmente ele não tinha convicção do resultado de algum deles.

Com o retorno da "Acumulada de Vencedor", o turfista poderá voltar a jogar em suas próprias barbadas, independentemente, da posição em que elas se encontram no programa oficial.

A decisão teve ótima receptividade junto aos apostadores. Afinal, o sentido das apostas é o direito de escolher os seus próprios palpites e convicções. E não, ter que jogar um páreo em que não se tem a menor ideia de quem vai vencer.

O turfe não é um jogo de azar. O turfista estuda o retrospecto, as estatísticas, vê os filmes dos páreos anteriormente disputados e possui acesso a informações valiosas de alguns profissionais, jóqueis e treinadores. Por isso, de acordo com o site Raia Leve, “o Movimento Geral de Apostas (MGA) deve responder de maneira favorável a esta decisão sensata de imediato”.

Fonte: GMB/ Raia Leve