SEG 25 DE MAIO DE 2020 - 06:52hs.
Rio de Janeiro

Após interdição do Jockey, Prefeitura finaliza conversas para liberar corridas sem público

A Prefeitura do Rio interditou nesta segunda-feira o Jockey Club Brasileiro, na Gávea, Zona Sul do Rio de Janeiro. Mas, na terça, afirmou que existem conversas em fase final para que as corridas voltem a ocorrer sem a presença do público, sem aglomerações e sem funcionamento das casas de apostas no local. De acordo com uma nota oficial enviada ao GloboEsporte.com, a nova medida será publicada no Diário Oficial assim que as tratativas forem ajustadas.

“A Prefeitura do Rio de Janeiro não abre mão de impedir aglomerações. Cabe destacar, contudo, que, por meio da Procuradoria Geral do Município (PGM), há conversas com o Jockey Club Brasileiro para que, DESDE QUE SEM PÚBLICO, sem aglomerações e sem funcionamentos de casas de apostas na cidade, as corridas de cavalo ocorram. A medida será publicada em decreto no Diário Oficial após os ajustes das tratativas”, dizia a nota oficial do município, enviada por meio da Subsecretaria de Comunicação Governamental.

Em meio à pandemia de coronavírus, os páreos de domingo e segunda-feira ocorreram sem autorização do governo municipal. Uma lista de inscritos foi divulgada no site oficial também com corridas marcadas para os dias 10, 11, 17 e 18 de maio de 2020.

O Jockey alega que realizou as provas nos últimos dois dias já sem presença do público e com apostas feitas somente pelo telefone ou pela internet. Os funcionários usaram máscaras. Segundo eles, foi respeitado o distanciamento social, e recipientes com álcool em gel foram espalhados pelo Hipódromo da Gávea. No total, segundo o site oficial, 278 animais foram inscritos para os dois dias de corridas.

A interdição ocorreu nesta segunda-feira porque, no entendimento da Prefeitura, "o evento do Jockey caracteriza a exploração de jogos e possibilitaria a realização de apostas, gerando aglomerações em lojas de apostas da cidade. Tais atividades não são permitidas conforme o Decreto 47.282, publicado pela Prefeitura com as medidas para enfrentamento da pandemia". Contudo, a nova medida deve liberar as corridas com as restrições já citadas acima.

Os fiscais da Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano, da Secretaria Municipal de Fazenda, estiveram no local na segunda-feira, lançaram um edital pedindo a interdição coercitiva do local, exigiram a paralisação das atividades de forma imediata e obrigatória e colocaram o edital de interdição em uma área visível no estabelecimento.

O Governo do Estado do Rio e a Prefeitura do Rio de Janeiro anunciaram a prorrogação das medidas restritivas referentes à pandemia do novo coronavírus no dia 30 de abril. A extensão estadual vai até 11 de maio, e a municipal, até dia 15.

O diretor do Jockey Club Brasileiro, Marcelo Beloch, afirmou, em entrevista ao GloboEsporte.com no domingo que a entidade estava em contato com as esferas municipal e estadual e que a retomada dos páreos respeitou o decreto do governador. No entendimento do Jockey, não se tratava de um evento, na realidade, mas uma questão de manter os cavalos, que também são atletas, em atividade, evitando doenças que podem até levá-los à morte. Nesta terça-feira, o dirigente afirmou somente que "o assunto está sendo tratado pelo presidente".

Há páreos acontecendo em outros países. É possível até apostar online nelas estando no Brasil. Na Ásia, há o exemplo do tradicional Hong Kong Jockey Club. Neste domingo, por exemplo, o brasileiro João Moreira, que tem mais de mil vitórias noticiadas, esteve presente em um deles. Nos Estados Unidos, há corridas sendo realizadas em vários estados, como por exemplo, na Flórida, no Arkansas e em Oklahoma. A Alemanha, por sua vez, espera retomar as corridas na semana que vem.

Fonte: GMB / Globoesporte